Blog de Alexandre Rangel -- setembro 2014 Arquivo (4)

O momento certo

Um dia um homem entrou num mosteiro e encontrou um monge sorrindo, sentado no altar.

— Por que o senhor está sorrindo? — perguntou ao monge.

— Porque entendo o significado das bananas — disse o monge abrindo a bolsa que carregava e tirando de lá uma banana podre. — Esta é a vida que passou e que não foi aproveitada no momento certo, e agora é tarde demais. Em seguida, tirou da bolsa uma banana ainda verde. Mostrou ao homem e tornou a guardá-la. — Essa é a vida que ainda não…

Continuar

Adicionado por Alexandre Rangel em 25 setembro 2014 às 9:00 — Sem comentários

Pessoas inertes

Conta a lenda que certo dia um jovem passava por uma aldeia debaixo de um temporal, quando viu uma casa se incendiando.

Ao se aproximar, notou que havia um homem dentro da casa, sentado na sala em chamas, já com fogo na altura das sobrancelhas. O jovem gritou:

— Sua casa está pegando fogo!

— Eu sei — respondeu o homem.

— E por que não sai daí?

— Porque está chovendo lá fora e minha mãe me disse que na chuva eu posso pegar uma pneumonia...

Quando leio…

Continuar

Adicionado por Alexandre Rangel em 18 setembro 2014 às 9:00 — Sem comentários

Se tiver que decidir, decida logo e evite sofrimento

Certa vez, a mãe de um menino de dez anos obrigou o filho a participar das aulas de educação física. Um dos exercícios era pular de uma ponte na água. O garoto morria de medo. Ficava no último lugar da fila e sofria a cada salto dado por um colega na frente dele, porque em pouco tempo chegaria sua vez de saltar.

Um dia, percebendo o medo do garoto, o professor obrigou-o a ser o primeiro a pular. O garoto sentiu o mesmo medo, mas ele acabou tão rápido que depois disso passou a…

Continuar

Adicionado por Alexandre Rangel em 11 setembro 2014 às 9:00 — Sem comentários

O que faz um funcionário mentir

Esta é a história de um funcionário que teve a prestação de contas rejeitada pelo chefe.

Ao retornar de viagem, o funcionário fez sua prestação de contas e nela incluiu o valor de R$ 8,00 referente a um guarda-chuva que havia perdido durante a viagem. Ele achou justo ser reembolsado, já que o havia perdido quando estava a serviço da empresa.

O gerente, ao revisar a prestação de contas, resolveu não aprovar o valor de R$ 8,00, pois nas normas da empresa não estava previsto…

Continuar

Adicionado por Alexandre Rangel em 4 setembro 2014 às 9:00 — Sem comentários

© 2019   Criado por Silvio Celestino.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço