Blog de Alexandre Rangel -- setembro 2015 Arquivo (4)

Ajude os outros a vencer

Há alguns anos, nas Olimpíadas Especiais de Seattle, nove participantes, todos com deficiência mental ou física, alinharam-se para a largada da corrida dos cem metros rasos. Ao sinal, todos partiram, não exatamente em disparada, mas com vontade de dar o melhor de si, terminar a corrida e quem sabe ganhar. Todos, com exceção de um garoto, que tropeçou no asfalto, caiu rolando e começou a chorar. Os outros oito competidores ouviram o choro, diminuíram o passo e olharam para trás. Então eles se…

Continuar

Adicionado por Alexandre Rangel em 24 setembro 2015 às 10:00 — Sem comentários

Construa um ambiente harmonioso com tolerância e perdão

Um empresário com grande poder de decisão gritou com um diretor de sua empresa, porque naquele momento estava sentindo muita raiva.

O diretor, chegando em casa e vendo um bom e farto almoço à mesa, gritou com sua mulher, acusando-a de gastar demais.

A mulher gritou com a empregada, que, assustada, quebrou um prato ao tropeçar no cachorrinho da casa.

A empregada chutou o cachorrinho que a havia feito tropeçar.

O cachorrinho saiu correndo e mordeu uma senhora que ia…

Continuar

Adicionado por Alexandre Rangel em 17 setembro 2015 às 10:00 — Sem comentários

Sua paz interior depende exclusivamente de você

Conta a lenda que um velho sábio, tido como um mestre da paciência, era capaz de derrotar qualquer adversário. Certa tarde, um homem conhecido por sua total falta de escrúpulos apareceu com a intenção de desafiar o mestre da paciência. O velho aceitou o desafio e o homem começou a insultá-lo. Chegou a jogar algumas pedras em sua direção, cuspiu no sábio e gritou-lhe todos os tipos de insultos. Durante horas, fez de tudo para provocá-lo, mas o velho permaneceu impassível.

No final da…

Continuar

Adicionado por Alexandre Rangel em 10 setembro 2015 às 10:00 — Sem comentários

Dê chance para os funcionários se desenvolverem

Um homem, certo dia, viu surgir uma pequena abertura num casulo. Sentou-se perto de onde o casulo se apoiava e ficou observando o que iria acontecer, como a lagarta conseguiria sair por um orifício tão estreito. Mas logo lhe pareceu que ela havia parado de avançar, como se já tivesse feito todo o esforço possível e agora não conseguisse mais prosseguir. O homem resolveu então ajudá-la: pegou uma tesoura e rompeu o restante do casulo. A borboleta pôde, afinal, sair com facilidade, mas... seu…

Continuar

Adicionado por Alexandre Rangel em 3 setembro 2015 às 10:00 — Sem comentários

© 2019   Criado por Silvio Celestino.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço