Boas palavras valem muito — e custam pouco. Mas raramente o poder da comunicação e o da persuasão são utilizados na arte de vender... Em certas ocasiões, usar a palavra com imaginação traz muito mais retorno do que qualquer procedimento técnico de venda aprendido em escolas ou treinamentos. Vender é uma arte, e ela exige técnica e criatividade.

Tenho tido a curiosidade de observar como é grande a falta de imaginação entre os vendedores. Na rotina do dia-a-dia, apegam-se à necessidade pura e simples de “vender” e se esquecem do que há de mais precioso e que não custa nada: usar a imaginação para seduzir e encantar os clientes! Selecionei três histórias interessantes, em que o uso da criatividade foi a razão do sucesso. Observe a simplicidade das ações e os resultados obtidos:

Uma mulher que vendia gardênias diante do Radio City Music Hall, em Nova York, exibia o seguinte cartaz: “Não estou faminta e não tenho filhos para alimentar. Vendo flores porque amo as flores e gosto de vendê-las. Se quiser comprar, custam 25 centavos cada uma, e eu lhe agradeço. Se não está interessado, isto é com você, e que Deus o guie em seu caminho”.

A mulher esvaziou cinco cestas de flores em quinze minutos.

Um dono de restaurante cheio de idéias criativas mas com pouco dinheiro para anunciar comprou o maior aquário de peixinhos que pôde encontrar, encheu-o com água pura e colocou-o na vitrine de seu restaurante com um cartaz que dizia: “Este aquário está cheio de peixinhos paraguaios invisíveis”.

Foram necessários dois policiais para manter a ordem em frente ao restaurante, tamanha a quantidade de pessoas curiosas.

O proprietário de um hotel conseguiu aumentar substancialmente a freqüência em seu estabelecimento atraindo casais em lua-de-mel. Sempre que esses casais chegavam ao hotel, o proprietário os convidava a celebrar a ocasião plantando uma pequena árvore no jardim. Depois, marcava o lugar em que a árvore cresceria com uma placa de prata gravada com o nome de cada um e a data de seu casamento.

Naturalmente, com tal interesse pessoal em jogo, ano após ano os casais não deixavam de voltar ao hotel para acompanhar o desenvolvimento de sua árvore e se certificar de que ela, assim como o amor deles, continuava viva.

Atitudes simples e criativas, mas que se tornaram casos de sucesso em vendas!

Exibições: 113

Comentar

Você precisa ser um membro de Alliance Coaching para adicionar comentários!

Entrar em Alliance Coaching

© 2018   Criado por Silvio Celestino.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço