Você lidera somente pensando em seu bônus?

Um grande problema ocorre quando o gestor sabe que não será capaz de atingir a meta, mas diz o contrário. Se for o principal gerente de uma grande organização, isso acarreta sérios prejuízos a fornecedores, parceiros comerciais e funcionários. Uma situação que gera muita desconfiança, incertezas e desapontamentos. Nos piores casos, coloca em risco a reputação do gestor e o futuro da empresa.

A causa disso é que o líder, por vezes, coloca seus interesses acima de todos os demais, revelando-se alguém imaturo e despreparado.

Por essa razão, o indivíduo deve ser selecionado com rigor antes de assumir um cargo de liderança, principalmente os principais postos de uma empresa.

Dois pontos são fundamentais de serem observados.

O profissional deve ter controle emocional e resiliência para aguentar as pressões inerentes à crise que atravessamos. Descontrole emocional e incapacidade de tolerar adversidades por um período de tempo incerto desmotivam o time e colocam em dúvida se o líder é o mais capaz para retirar a companhia de uma situação difícil.

Outro fator é o executivo ter claro seus propósitos mais elevados e portar-se como um digno guardião deles. É terrível observar os principais diretores preocuparem-se com o bônus e criarem condições artificiais para manipular os indicadores de desempenho da empresa. 

Não é apenas nos meios políticos que demandamos mais ética. Nas empresas também precisamos que os principais dirigentes saibam que suas palavras e ações impulsionam investimentos de seus parceiros comerciais e fornecedores, e fazem seus funcionários decidirem questões pessoais relevantes como a aquisição de um novo imóvel, ou ter um filho.

Alguém que pensa somente em si mesmo e ocupa esses cargos pode causar grande prejuízo a um número enorme de pessoas.

As empresas estariam em melhores condições se fossem mais rigorosas nas escolhas de seus principais dirigentes. Afinal, vencer uma crise não é uma tarefa para imaturos e individualistas, precisamos de pessoas de coragem e que assegurem o futuro da companhia quando a turbulência passar. Pessoas que pensem em seus parceiros, fornecedores e funcionário e que, portanto, saibam fazer a vitória valer a pena para todos.

Vamos em frente!

Para trocarmos ideias no facebook: Silvio Celestino

Para me seguir no Twitter: @silviocelestino

Exibições: 130

Comentar

Você precisa ser um membro de Alliance Coaching para adicionar comentários!

Entrar em Alliance Coaching

© 2019   Criado por Silvio Celestino.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço